CURRÍCULO ARTÍSTICO

Currículo/Biografia (EM CONSTRUÇÃO)
-​About:
MaicknucleaR (São Paulo, Capital, 1981) é compositor, escritor, cantor, videomaker, editor de vídeo, artista de rua, performer, diretor, produtor musical, produtor áudio-visual e louco de pedra.
Mini bio:
​Compositor desde 1993, MaicknucleaR iniciou sua jornada artística,
efetivamente, 
em 1998 ao lado de Mc Az, com apoio moral e infra-estrutural do precursor da
dança de rua no Brasil, o grande Nelson Triunfo.
Participou de diversos espetáculos musicais na Casa do Hip Hop em Diadema e
região, com MC Az e Miguelito (filho do grande músico brasileiro Miguel de Deus)
tendo sua estréia, em Guarulhos, abrindo show para o consagrado grupo RZO.

Em 1999 participou, como ator e músico, da peça Malcom X, no SESC Vila Mariana,
em uma integração Brasil/França, contando com a presença de músicos e atores
franceses. No mesmo ano participou, musicalmente, do lançamento da
Revista Simples, no SESC Pompéia.

Em 2000 tornou-se vocalista da banda  UzzmetralhA, onde aprendeu a tocar violão, guitarra e baixo e
onde permaneceu, oficialmente, até 2004.

Em meados de 2005 funda o extinto e notório site “O Pastrame”, onde iniciou sua jornada literária.

Em 2006 teve trechos de textos e textos de sua autoria publicados em blogs de amigos como Mário
Bortolotto, Márcio Américo, Daniel Cavana, Pierre Masato, Marcelo Ariel, dentre outros.

Em 2007 inicia sua jornada poético-musical em um pocket show feito no lançamento do livro “Me Enterrem com Minha AR 15” de Marcelo Ariel, na Biblioteca Alceu Amoroso Lima. Algum tempo antes, neste mesmo ano, MaicknucleaR idealiza, cria e edita a Revista Digital Lasanha de Literatura
(revistalasanha.bravehost.com ), que conta com as ilustres participações de nomes como Marcelo
Mirisola, Ângela Oiticia, Jarbas Capusso Filho, Marcelo Ariel, Beatriz Bajo, Célia Musili, Caco Pontes,
Márcio Américo, Bárbara Lia, Clotilde Zingali, Nick Farewell, Randall Neto, Marcelo Montenegro, Ricardo Carlaccio, Heloisa Galves, Cássio Amaral, Robson Corrêa Araújo, Eduardo Lacerda, Artur Gomes, Paulo F, Karen Debértolis (e mais de cinqüenta escritores de todo Brasil, tendo sua última edição em 2009). Foi entrevistado pelo site Armadilha Poética, publicado na Garganta da Serpente e Bar do Escritor. Ao lado de Bebeto Cicas cria o sarau “Verbos Curtos & Viola na Vela” (apresentado toda quinta-feira, nas dependências do Centro independente de Cultura Alternativa e Social). Em novembro publica o livro “Meu Doce Valium Starlight” pela editora Dulcinéia Catadora e algum tempo depois surge a dupla de poesia musical acústica “Verbos Curtos” (MaicknucleaR e Humberto Fonseca), tendo sua estréia oficial na Primeira Feira Ente de Arte Independente da Vila Sabrina.

Em 2008 MaicknucleaR participou com músicas e poesia no Livro Aberto, do SESC Piracicaba, e, com o mesmo seguimento, a convite do escritor Claudinei Vieira, participou do Desconcertos na Praça Roosevelt e Desconcertos na Casa da Rosas, incluindo o Sarau da Editora Dulcinéia Catadora, também na Casa das Rosas. Com o projeto poético musical “Verbos Curtos” participou do Plano C.A.I-MAL, do coletivo Poesia Maloqueirista, no Espaço Zé Presidente e em outra edição na Biblioteca Alceu Amoroso Lima. Apresentou- se duas vezes no Espaço Cultural Cidadão do Mundo (São Caetano), no Bar do Zé, Flap-2008 (na Casa das Rosas), em duas intervenções na Praça Benedito Calixto e de duas edições do Sub Varejo Bazar, uma delas no CCPC. Também fez um pocket poético musical no Sarau do Brás. MaicknucleaR e Bebeto Cicas foram os apresentadores convidados para finalizar o evento da Semana de Literatura Independente no CCJ (Centro Cultural da Juventude), finalizando o evento com o antigo sarau “Verbos Curtos & Viola Na Vela”, além
deste, fizeram incontáveis saraus, durante o ano todo, no CICAS (Centro Independente de Cultura
Alternativa e Social) e no Sub Varejo Bazar. Maick foi publicado na Revista Não Funciona e escreveu
duas contra capas da internacionalmente respeitada Revista Critério, a convite de seu editor chefe,
Marcelo Chagas. Produziu, filmou, escreveu e dirigiu os curtas-metragens, feitos em digital de baixa resolução, “Aoa Jones” e “A Decadência do Céu e a Beleza do Inferno”, o último baseado em um conto seu. Com o prelúdio do Sarau Portátil participou, como convidado especial, da Primeira Bienal Internacional de Poesia em Brasília, a convite de Antonio Miranda, presidente da Biblioteca Nacional de Brasília. Em uma breve jornada no melhor estilo talk show, entrevistou, nas dependências do CICAS, as bandas: Ordinária Hits, Drama Beat, Open Bar Band, Vincebuz, The Wooden Man, Visitantes e também o escritor Ricardo Carlaccio e o gestor ambiental Marcos Flecha. E, como entrevistado, foi matéria do programa Balanço Social da TV Cultura. MaicknucleaR, neste mesmo ano, cria a produtora virtual independente Fronteira Filmes, que hoje conta com mais de seis milhões de acessos em seu canal do videolog (em sua maioria absoluta de acessos internacionais, devidos ao site Myspace). Em dezembro MaicknucleaR transforma idéia em ato, produzindo O Sarau Portátil, que é o resultado da miscigenação de sua literatura independente, marginal, maldita, underground (não esquecendo seus elementos cênicos como os recitais), com samples cem por cento brasileiros de rare groove, soul e psicodelia nacional dos anos 1960, 70, resultando em um groove-soul-rapeado totalmente de vanguarda. Todos samples e remixes foram produzidos por MaicknucleaR e todos textos recitados são trechos de textos também de MaicknucleaR, ou dos autores convidados como Ricardo Carlaccio, Mário Bortolotto, Samantha Abreu, Robson Araújo e Humberto Fonseca , estes lendo seus respectivos textos, que fou publicado duas vezes no jornal Estado
de São Paulo comomais um Ponto de Poesia da cidade de São Paulo.
Em 2009 MaicknucleaR criou, produziu, compôs, cantou, gravou, fez as artes das capas e lançou, de forma independente, os projetos musicais “Paulistanas Depravadas”, “Fronteira Hits”, “Nuclear Reggae Style” e o compilado de singles “Ao Vivo do Vagau’s”. Produziu, filmou, idealizou e editou os vídeos-clipe: “Sonho Delirante”, “Estretiche” e “Falei e Tá Falado” de O Sarau Portátil, mais os clipes “A Essência” da banda UzzmetralhA, “Mestrando Jones” single de MaicknucleaR, “Poema do Adeus” do projeto Fronteira Hits, “Direto da Fronteira” da one man band Nuclear Reggae Style e editou o Especial Verbos Curtos. O Sarau Portátil foi incluso no Pontos de Poesia da Poiesis e saiu em uma pequena nota no Jornal O Estado De São Paulo. O projeto de remixes musicais, Fronteira Hits, em seu primeiro play “The Trailer Of Our Lifes”, começou a tocar na Holanda através da rádio Lansigerland FM. Maick também produziu o trailer do documentário “Eu Coloro”
de Humberto Fonseca. Com o Sarau Portátil participou do primeiro Sarau Mackenzista no hotel Cambrige, fez duas performances juntamente com a banda Toró Instrumental no Bar B. MaicknucleaR, com seu projeto musical homônimo, participou da primeira edição do festival Reviva Rap. 
Em 2010, com O Sarau Portátil, fez apresentações no Skuantus Bar, na Casa das Rosas, Praça Roosevelt, 82. Com o Verbos Curtos participa das duas primeiras edições do Malocália, do coletivo Poesia Maloqueirista, no SESC Pompéia.
Maick lança os e-books “Dançando Valsa nos Salões do Inferno” (mais de 9 mil leituras/acesso) e “As Vadias Platinadas e Seus Drinques Solitários”. Neste ano MaicknucleaR produziu os documentários "TV, A Imagem da Besta Quadrada", "ConspiLation Doc: A ConspiLação" e os autorais "Auto Doc: Sarau Portátil" e o mais aclamado "Liberdade, Uma Prisão Sem Muro". Maick também produziu os clipes: “Bang Bang” e “Na Vizinhança” de Fronteira Hits, além do clipe single de MaicknucleaR, o Fazendo uma integração “São Paulo/New Jersey”, MaicknucleaR produziu o clipe “Last Of A Dying Breed (Killuminati)”, do rapper Nova Yorkino Jay Masari (Javier Diaz) e também o vídeo texto “Nessas Noites Sem Aurora”.
Lançou, novamente de forma solitária e independente, o garboso e dessa vez totalmente nacional, segundo cd do projeto Fronteira Hits, entitulado “MaicknucleaR Versus As Divas da Rádio”. Em setembro MaicknucleaR aceita a proposta de unir arte cênica à performance do Sarau Portátil, juntamente com o ator Cláudio Laureatti (organizador do Sarau da Cesta – Letras USP), para algumas apresentações e intervenções conjuntas, tendo como primeira
intervenção o SPC (Sarau Portátil “da Cesta”), na Letras, FFLCH-USP. Também em setembro Maick lança o DVD “Pacote Atômico de MaicknucleaR – edição limitada”, totalmente autoral, contendo 113 músicas, 4 e- books, 37 vídeos).Seu ebook "As Vadias Platinadas e Seus Drinques Solitários" é publicado na revita Germina Literatura. No Outubro Independente, da Secretaria da Cultura, apresentou um compilado de trabalhos de sua produtora Fronteira Filmes no Espaço Curtas, no Centro Cultural da Juventude e do debate sobre Terrorismo Poético, na Biblioteca Alceu Amoroso Lima. Seu vídeo autoral, de poesia audiovisual. Seu vídeo “Nessas Noites Sem Aurora” foi publicado no site do Metrópolis, da TV Cultura e logo após Maick cedeu entrevista sobre arte independente para a Revista Pausa. Em novembro MaicknucleaR termina a edição de seu primeiro filme oficial, um curta metragem chamado “Terrorismo Póetico, o Filme”, que tem no elenco nomes como Paloma Kliss, Marcelo Ariel, Chiu Yi Chih e Rita Medusa, logo na sequência lançou o curta “Duplex: Both Sides Of The Intolerance”. Em dezembro exibe o vídeo Terrorismo
Poetico no CICAS durante a "festa de coletivos".
Jan 2011, juntamente com o grupo de performance e noise Carnaval Negro exibe o filme Terrorismo Poetico na sede do Rasgada Coletiva, em Sorocaba. Em 26 de Fevereiro lança o filme Terrorismo Poetico 2: a Política do Arregaço, que foi publicado no site do programa Metropolis, da TV Cultura e exibido na sede do Rasgada Coletiva, em Sorocaba. E logos após fez vários vídeos experimentais. Em Abril lança o curta metragem "São Paulo Noise City", em co-produção com Renato Gimenez, dono do consagrado Estúdio Caffeine e o vídeo é publicado na Revista Nego Dito e também exibido na sede do coletivo artístico Rasgada Coletiva, junto ao show da banda Drama Beat. Em maio lança o primeiro vídeo clipe oficial do projeto Fronteira Hits, com a música "Tudo é Tão Igual". Já em julho lança o "Terrorismo Poetico 3: O Desembesto Final", que foi publicado na Revista Do
Lado De Cá. Agosto 2011 a música-prosa poetica "Cá Estamos, Brother" é publicado na revista de literatura Benfajeza e lança a série de vídeos "Licking Walls", gravando seus trabalhos nas ruas por mero registro. Licking Walls 1 ´w publicado na revista Subsolo Art. Nesta mesma época Maick começa a apresentar o programa na web, o Old Studio TV, que consistia em entrevistar bandas antes de suas performances ao vivo nos esúdios da Old TV.Dezembro lança o vídeo Sticker Show e o aclamado "Intervém Sampa: Ame - Love" e o Terrorismo Poetico 3  publicado em um dos maiores sites de street art da europa, o site alemão Rebelart.
2012 Maick estreia o ano com os vídeos de intervenção Hollywood Lambes, Cantando os Anos Dourados, Vintage
Posters e os experimentais O Avesso e Na Onze e Cantando Fevereiro teve um texto publicado na Revista Clitóris.
Em fevereiro faz a intervenção em vídeo Atomic City.  Em abril faz a intervenção social MaicknucleaR Para Prefeito, na Avenida Paulista. Em março faz um curta metragem trash chamado Desertores Espiões.
Em junho faz uma pequena série e intervenções urbanas nos vídeos Intervém Sampa - Aperte o Play Para o
Seu Sonho e Intervém Sampa - Escreva Seu Sonho. É lançado seu livro "As Transliterações do Ópio", pela
editora Rubra Cartoneira. Em agosto participa com seu projeto Sarau Portátil do festival literário de Londrina, o Londrix. Teve seu perfil publicado na revista Da Contramão e fez o vídeo Quotes, O Muro Das Frases.
Em setembro é publicada um matéria sobre seus cartazes "MaicknucleaR Prefeito", na revista São Paulo,
da Folha de SP e teve uma arte sua em uma matéria do jornal O Vila Mariana.
Em novembro Maick começa a gravar o documentário Cola de Farinha.Doc, que antes mesmo de ser terminado
tece seu teaser publicado no site da Folha de São Paulo. O filme Terrorismo Poetico 3 é publicado em
uma matéria no site Catraca Livre e participa com uma música sua de projeto Ponte Aérea Elétrica (by
FreakOut Musi) ao lado de Caco Pontes, Paulo Castro, Pedro Tostes, SinHa´, Aline Gaia, Byra Dorneles,
Daniel Minchoni, Clauky Boom, Kyvia Rodrigues, Sheyla de Castilho, Michelle Sill e Denizis Trindade.
Em outubro faz o vídeo Street Vernissage e participa do programa Meu Caro Amigo, da Cantareira FM.
Também faz o vídeo intervenção Vendo Cola Para Corações Quebrados.   Em dezembro o Cola de Farinha.Doc
teve ume pré-estreia no Cafe De Ville (na Rua Mourato Coelho). Maick participa de uma matéria da
revista Murro Em Ponta De Faca, na revista Subsolo Art e no dia 28 acontece a premier de seu
documentário no Espaço Arte (Av.Faria Lima).
2013
Em janeiro seu documentário Cola de Farinha.Doc teve uma exibição excepcional na Galeria Olho de Águia,
em Taguatinga Norte, no Distrito Federal. O documentário também foi publicado nas
revistas virtuais SARAIVA Conteúdo, Catraca Livre, Nakedz Crew, Subsolo Art, Art Till Death,
Jornow, Comunique-se, Revista Prego (facebook), Do Lado De Cá, Iberoamerica.net, Revista de Arte
Solocos, Acha Brasília, Zinismo, Seu Post, Impulso HQ, Café In Sônia, Jornal Olho de Águia, Mistura
Urbana, Magazine 400 ml, Galeria do Rock (facebook), ACAV, Roulets, Sistema Nervozzo, Interjornal,
No228, 550 Mag, Tinta Crua, Ya Cult, Revista Off, Eita Poa.
Vídeo exibido nos sites internacionais The Street Art Daily (Estados Unidos), Arrested Motion
(Inglaterra), Cityzer (França), FatCap (França), Beautiful Crime (Inglaterra), Aerosol Art (Estados
Unidos), Deep Brazil (Estados Unidos), Brooklyn Street Art (Estados Unidos), Premium Mints (EUA), Graffit Magazine (EUA), Streets Worth (EUA), News.xxzp (Rússia) Galeria Olho de Águia, no Distrito Federal,
Em fevereiro  foi publicado na revista Clichetes, com um perfil detalhado, feito para uma reportagem
literária que fora escrita por Letícia Iambasso. Seu documentário foi veiculado em um "drops", na
programação da MTV Brasil, sobre o documentário Cola de Farinha.Doc
Março participa do Soul Kitchen, no teatro Cemitério de Automóveis.
2014
2015
X Semana Fernando Furlanetto, em São João da Boa Vista e na semana seguinte, com seu projeto Sarau Utopia do Asfalto, ao lado do Coletivo Yopará, na Virada Cultural de São Paulo.

Eventos "preferidos" que participou:
- Peça Malcom X (1999) Sesc Vila Mariana
- Lançamento da revista Simples (1999)
- Primeira Feira de Arte Independente da Vila Sabrina.
- Projeto Livro Aberto do Sesc Piracicaba.
- Desconcertos na Praça Roosevelt e Casa das Rosas.
- Plano C.A.I.MAL na Biblioteca Alceu Amoroso Lima.
- FLAP na Casa das Rosas.
- Semana de literatura independente no CCJ.
- Primeira Bienal Internacional de Poesia em Brasília.
- Ponto de poesia da Poiesis, com o projeto “Sarau Portátil”.
- Abertura o primeiro sarau Mackenzista no Hotel Cambridge com o projeto “Sarau Portátil”.
- Participação do Sarau da Casa, Casa das Rosas, com o projeto “Sarau Portátil”.
- Participação no no evento Malocália, Sesc Pompeia, com o projeto “Verbos Curtos”.
- Participação do Sarau da Cesta, USP, com o com o projeto “Sarau Portátil”.
- Participação do Outubro Independente da Secretaria da Cultura e debate sobre Terrorismo
Poético.
- Participação, como convidado, em agosto de 2012 do Festival Literário de Londrina,
“Londrix”, com o projeto “Sarau Portátil”.
- Exposição dos seus Cartazes no Espaço Arte
- Exposição do vídeo "Cola de Farinha.Doc" no Espaço Arte,
-Lançamento do TERRORISMO POÉTICO 4 na Matilha Cultural


EM BREVE ATUALIZAÇÃO CORRIGIDA

0 comentários:

Postar um comentário